Gaeco marca interrogatórios de presos por propina no Detran - Veja a lista09 de Maio de 2018

Os presos na 2ª fase da Operação Bereré, batizada de Operação Bônus, acusados de participação no esquema de propina que funcionava no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), passam por audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (9), mas não serão ouvidos no mesmo dia.

 

No Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), dos 6 presos, 5 serão interrogados nesta quinta-feira (10). Já o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), embora não tenha sido preso, também será interrogado, mas na sexta-feira (11). Os interrogatórios serão realizados na sede do Gaeco.

 

A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na 1ª fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas firmadas por empresários que foram alvos do Gaeco lá atrás, em fevereiro deste ano. Nessa fase, foram presos o deputado estadual Mauro Savi (DEM), o advogado e ex-secretário chefe da Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, também advogado Pedro Jorge Zamar Taques, e os empresários Roque Anildo Reinheimer, Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo” e José Kobori.

 

 

 

O avo das investigações é uma organização criminosa instalada dentro do Detran para desvio de recursos públicos envolvendo contratos milionários firmados entre a autarquia e empresas de fachada. Ainda na 1ª fase, o Gaeco pediu e o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) determinou o bloqueio o bloqueio de R$ 27,7 milhões das contas e bens de 17 alvos da Operação Bereré.

 

As investigações identificaram para o pagamento de propina a diversas pessoas com base no valor arrecadado pela empresa EIG Mercados (antiga FDL Serviços de Registro, Cadastro, Informatização e Certificação), responsável pelo registro de contratos de financiamentos de veículos junto ao Detran.

 

Parte do lucro da empresa era repassado aos investigados por meio de uma empresa de fachada, a Santos Treinamento e Capacitação de Pessoal Ltda, cujos sócios eram beneficiários do esquema ou “laranjas”. O bloqueio foi pedido pelos promotores do Núcleo de Ações de Competências Originárias (Naco) e do Gaeco. O valor foi calculado com base nas provas já obtidas com a quebra de sigilo bancário de investigados.

 

Confira as datas de interrogatórios

10/05, 10h – Mauro Luiz Savi
10/05, 10h – Pedro Jorge Zamar Taques
10/05, 14h30 – Paulo Cezar Zamar Taques
10/05, 14h30 – Claudemir Pereira dos Santos
10/05, 16h30 – José Kobori
11/05, 10h – José Eduardo Botelho 

 

Por: Gazeta Digital